19 de jul de 2012

A ALMA PERENAL DO ARRANJADOR DA ALEGRIA

Henrique Cazes, pesquisador da obra de Pixinguinha, transformou o espetáculo da Orquestra no Teatro Miguel Curi numa viagem musical didática ao explicar para o público sua importância, entre uma e outra execução musical. “Pixinguinha estava no lugar certo, na hora certa. O Teatro de Revista foi seu ambiente de criação, seu laboratório de instrumentação para algo que ainda não existia. Coube a ele descobrir como fazer a música brasileira tal qual a conhecemos hoje em dia, com um jeito dançante. Foi o maestro do carnaval. O arranjador da alegria da música brasileira”.

Nenhum comentário: