11 de abr de 2012

Mostra Sérgio Nunes acontece no próximo mês

A temporada dos Festivais promovidos pela Secretaria de Cultura começa no mês de maio. De 24 a 26  acontece a 4ª Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas,  realizada pela Associação de Amigos da Biblioteca – AABiP, em parceria com a Prefeitura. Nelson Rodrigues recebe homenagem dos ourinhenses, no ano em que se comemora o centenário de seu nascimento.  A equipe da Secretaria prepara uma exposição sobre o escritor, e um texto de Nelson integra a programação deste ano. Serão três dias de Mostra, com espetáculos para o público adulto.  

Círculo dos Canastrões apresenta os Sete Gatinhos, de Nelson Rodrigues e direção de Nelson Baskerville.
Na primeira noite, dia 24, o texto de Franz Kafka, Comunicação a uma Academia, será encenado por Juliana Galdino e José Geraldo Jr. A direção é de Roberto Alvim. Kafka conta a história de um macaco, interpretado por Juliana Galdino, que relata à platéia como se tornou humano e o processo de transformação por meio do qual aprendeu a se comportar como um homem. Comunicação a uma Academia desenha o processo pelo qual alguém se torna “humano”. Isto é, o processo que leva um indivíduo (ou mesmo todo um povo) a abraçar voluntariamente uma idéia hegemônica relativa ao que é ser um ser humano, sob o risco de exclusão da comunidade global. "É uma metáfora terrível de toda forma de condicionamento, colonialismo, adestramento e aculturação, o texto de Franz Kafka suscita a reflexão a respeito de questões urgentes e graves da era globalizada", comenta Alvim.

Parlapatões de volta à Ourinhos com PPP@WllmShkspr.Br
A programação vai contar também com o Grupo Os Parlapatões, com a comédia PPP@WllmShkspr.Br, que se apresenta no Teatro na noite da  sexta-feira, dia 25. Uma remontagem do grande sucesso que tornou os Parlapatões conhecidos em todo o Brasil, a peça propõe a obra completa de William Shakespeare em versão abreviada, texto do ator americano Adam Long com direção de Emílio Di Biasi.
Em sua primeira montagem, a peça foi apresentada mais de 500 vezes e participou dos principais festivais de teatro brasileiros. Os Parlapatões retomam a montagem, renovada em sua linguagem e mantendo a perfeita direção de Emílio Di Biasi como parte das comemorações dos 20 anos de atividade do grupo.
Hugo Possolo e Raul Barretto, atores da montagem original, trazem o parlapatão Alexandre Bamba para compor o trio que perpassa alucinadamente por todas as peças de William Shakespeare. Uma montagem festiva, cômica e alegre, que busca estar a altura de um teatro onde os Parlapatões contagiam com verdadeiramente o público com seu humor.
 
No sábado, o Círculo dos Canastrões apresenta “Os Sete Gatinhos”, de Nelson Rodrigues, no Teatro Municipal, sob direção de Nelson Baskerville. O texto conta a história de uma família com cinco filhas. Silene é a caçula e a  mais mimada,  considerada a  única “pura”, e por isso tem direito a uma boa educação em colégio interno. Mas logo a vida dos Noronha toma rumo diferente: a garota é acusada de matar a pauladas uma gata grávida, e a partir daí desvendam-se os segredos da família.    
Sobre o autor, Baskerville comenta: Na minha casa  de classe média Nelson Rodrigues era tido como sem-vergonha. Minhas referências também eram precárias e preconceituosas, já que ele era conhecido por filmes, em minha opinião, mal feitos e que ressaltavam justamente os principais motivos do preconceito. Fui fulminantemente abatido por  Nelson Rodrigues quando assisti quatro textos num só espetáculo: Álbum de Família, Toda Nudez, O Beijo no Asfalto e Sete Gatinhos. Foi no Teatro São Pedro, com atores fantásticos, e sua obra então me conquistou”. 


Nelson Rodrigues começou a trabalhar no jornal do pai em 1926, com treze anos, como repórter da seção policial. Acabou escrevendo também sobre outros assuntos, adquirindo gosto pelo jornalismo. O futebol foi uma de suas paixões e tema de muitas crônicas. A primeira experiência com texto teatral aconteceu em 1941, com “A mulher sem pecado”. Os textos polêmicos renderam-lhe a fama de “maldito” e “tarado de suspensórios”, mas fizeram com que sua obra se tornasse conhecida. Escrevendo crônicas sobre histórias que envolvem famílias da classe média carioca, a obra de Nelson é referência na dramaturgia nacional, sendo considerado um autor de clássicos do teatro brasileiro.

Nenhum comentário: