18 de jul de 2011

Prêmio de Fomento plantou a diversidade cultural

Uma Ourinhos ainda mais diversa, versátil e rica na oferta de cultura é o que resultou da seleção de projetos do Prêmio de Fomento à Produção Cultural e Oficinas Criativas, divulgado no dia 15 de julho. É o balanço que faz a Secretária de Cultura, Neusa Fleury. Foram selecionados 10 projetos entre os 28 inscritos, sendo que cinco pertencem à categoria de Produção Cultural e outros cinco à categoria de Oficinas Criativas.

A análise de projetos foi realizada por uma Comissão que reuniu qualidade técnica e experiência cultural: Milena Deganutti, Coordenadora da Oficina Cultural Tarsila do Amaral, de Marília; Solange Batigliana, Diretora de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura de Londrina; Neli Maria Fonseca Viotto, historiadora e Diretora de Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura de Bauru; Marco Aurélio Gomes e Valdir Grandini Alvares, da Secretaria de Cultura de Ourinhos.

Valdir Grandini e Marco Aurélio Gomes relatam que, no trabalho de seleção, uma frase foi lema: realizar uma análise criteriosa e equilibrada. “Foram levados em conta uma soma de fatores, começando pela qualidade, coerência e clareza dos projetos, passando pela distribuição harmoniosa entre as categorias de produção e oficinas criativas. Buscou-se o respeito ao edital e que a cidade pudesse contar tanto com projetos de circulação cultural quanto projetos que proporcionassem à população a iniciação às linguagens culturais na condição de criadora de arte e cultura”, afirma Valdir Grandini.

Marco Aurélio destaca que outro ponto que a Comissão levou em conta foi o equilíbrio entre as áreas culturais. Segundo seu balanço, a área de música, preponderante entre os projetos inscritos, teve aprovados dois projetos de circulação musical – Batucada Brazuca e Samba e Botequim - e um projeto de oficina criativa, “Oficina da canção”. Dois projetos estão ligados ao teatro, “Maioridade Soarte 18 anos”, registrando a trajetória do grupo, e “A criação e o jogo cênico: mosaico de histórias”, na categoria Oficina Criativa. A literatura teve espaço com o projeto “Projeto Literário Revivendo Ourinhos”, visando publicação de livro. As artes plásticas estão contempladas com dois projetos: “OurZ”, cujo ponto principal está em exposição de artistas ourinhenses e “Oficina de desenho livre, cartuns e quadrinhos II”, que visa formar um núcleo de desenhistas e ilustradores na cidade. O audiovisual também teve dois projetos aprovados: “Ourinhos de 1988”, para produção de um documentário e “Oficina de curta metragem”, para formar jovens criadores de cinema e vídeo. A preservação da memória histórica de Ourinhos, por sua vez, está presente em vários desses projetos.

Por fim, os dois representantes da Secretaria de Cultura na Comissão avaliam que a análise criteriosa e equilibrada resultou na aprovação da continuidade de quatro projetos iniciados em 2010, cuja característica forte é proporcionar o desenvolvimento cultural. Na área de oficinas criativas foram três projetos importantes para formar grupos de criação cultural na cidade, o que demanda tempo. No terreno da produção cultural, foi aprovado o projeto “Samba e Botequim”, de reconhecido sucesso em 2010 e que voltou em 2011 com a proposta de levar ao público a história do samba, um gênero musical que é patrimônio cultural brasileiro. Nesses casos, concluem, “buscou-se valorizar o esforço por plantar a produção e circulação cultural junto a públicos e lugares novos, coisa que as principais experiências de fomento à cultura no Brasil levam em consideração”.

Nenhum comentário: