9 de fev de 2011

Conheça mais sobre a Oficina de Dança Criativa

O curso é gratuito e as inscrições estão abertas

A proposta é criar um laboratório para pesquisa e reflexão sobre a dança

A Secretaria de Cultura abriu inscrições para diversas oficinas gratuitas, nas áreas de teatro, dança, música e literatura. Na área de dança, além das tradicionais dança do ventre e dança de salão, uma proposta chama a atenção: a oficina de Dança Criativa, que vai acontecer no Espaço Cultural Alternativo, à Rua Paulo Sá, 210.

A proposta da oficina foi criada a partir do programa VivOurinhos, implantado em 2009. O programa prevê uma gestão planejada e discutida com a comunidade, de modo que a diversidade de linguagens artísticas circule no centro e periferia, e as atividades criativas sejam incentivadas. O programa foi aprovado em um fórum participativo, em abril daquele ano. Desde então, um conjunto de ações vem sendo desenvolvidas, em especial a implantação de oficinas criativas nas escolas públicas e bairros da cidade.

As atividades de dança na cidade se consolidaram a partir da criação da Escola Municipal de Bailado, em 1996, e desde então, os cursos oferecidos pela Escola já formaram várias gerações de jovens ourinhenses. Além disso, a dança de salão é muito valorizada, e vários cursos acontecem pela cidade. A proposta da oficina de dança criativa é o desenvolvimento de um laboratório de pesquisa que explore novas possibilidades para a dança, somando ao que já existe na cidade, e foi criado pelo Diretor de Oficinas Culturais, Valdir Grandini, o Dentinho, em parceria com a coreógrafa Fátima Barbosa.

O curso prevê atividades criativas através da dança, teatro e música. O curso se inicia com exercícios de observação do cotidiano na cidade, de expressão corporal individual. “Partindo das leituras obtidas faremos uma interpretação coletiva das observações do cotidiano e das expressões corporais”, explica a coreógrafa Fátima Barbosa, coordenadora da Oficina de Dança Criativa. O trabalho de pesquisa realizado pelo grupo será ancorado no poema “Sobre o teatro cotidiano”, de Bertolt Brecht, que revela as atitudes globais contidas nos gestos do cotidiano. “O gesto social é o gesto que é mais significativo para a sociedade, que permite tirar conclusões que se apliquem às condições da sociedade”, diz Brecht.

A obra da pesquisadora Graziela Rodrigues também será referência para as pesquisas. A autora entende a dança como área de conhecimento, que não deve se limitar a ornar, enfeitar, relaxar e brincar, mas envolver a habilidade humana de criar. Desta forma, as atividades da oficina deverão entremear a dança com a teatralidade e a musicalidade, utilizando jogos teatrais, preparação vocal e percussão corporal.

Segundo a coreógrafa Fátima Barbosa, “no final do curso pretendemos mostrar o resultado dos trabalhos que envolvem a criação do processo coreográfico, que será construído pelo próprio grupo. Na verdade a proposta da oficina é a criação de um laboratório para pesquisa e reflexão sobre a dança.”

A oficina vai acontecer no Espaço Cultural Alternativo, à Rua Paulo Sá, 210, que já abrigou a primeira academia de dança instalada na cidade, a Academia Mariza. Foi nesse espaço que o Grupo Teatral Soarte fez sua estréia, com apresentação de “Édipo Rei”, de Sófocles, em 1994, dirigido por Sérgio Nunes. Nos últimos anos o espaço foi utilizado como sede da Companhia de Danças de Ourinhos. Desde 1993 o imóvel é alugado pela Prefeitura Municipal, e passou por reforma no segundo semestre de 2010 com o objetivo de transformá-lo em espaço de qualificação das oficinas culturais que estão se espalhando pela cidade.

As inscrições para a Oficina de Dança Criativa podem ser feitas pelo telefone 3302-3344. O curso é gratuito, e indicado para adolescentes e adultos.

Nenhum comentário: