17 de out de 2011

Três jurados escolhem os melhores filmes, mas público também decide

Rodrigo Grota.
 O público que acompanhar a Mostra Curta Ourinhos vai participar escolhendo os melhores filmes através do Júri Popular; os escolhidos receberão o Troféu Gato Preto. Mas o evento também oferece premiação em dinheiro para o melhor filme das Mostras Principal, Infantil e Produção Local. Um trio de especialistas vai acompanhar toda a programação,com objetivo de escolher os curtas que serão premiados: Rodrigo Grota, Carolina Bassi Moura e Andrea Tonacci.
O italiano Andrea Tonacci vive em São Paulo desde os 9 anos. Escreveu, dirigiu e fotografou curtas e médias metragens premiados.  Entre 1977 e 1984, como bolsista da John Simon Guggenheim Memorial Foundation, dedica-se à pesquisa da linguagem audiovisual.
Andrea Tonacci.
Seu primeiro filme foi o curta “Olho por Olho” (1965). Depois, vieram “Blablablá” (1968), com Paulo Gracindo, e “Bang Bang” (1970), considerado obra-prima do chamado cinema marginal. Mais tarde fez o documentário “Conversas no Maranhão” (1977) e nos anos 90 começou o longa inacabado “Paixões”.
Depois de três décadas voltou a produzir um longa-metragem, “Serras da Desordem”, premiado com o Kikito de melhor diretor no Festival de Cinema de Gramado, em 2006.
O jornalista e cineasta Rodrigo Grota  esteve em Ourinhos na edição 2010 do evento, e é grande incentivador do movimento de cinema em Londrina, onde morou por alguns anos. Com um grupo de amigos fundou em 2003 naquela cidade a Kinoarte, instituição cultural  que realiza  oficinas e viabiliza publicações na área.  Desde 2003 Grota também coordena a Mostra Londrina de Cinema e a Kinoarte Mostra Curtas. Segundo ele, o cinema é  “uma linguagem composta por imagens, sons, silêncios, que não traz mensagens claras, nem apresenta uma visão fechada do mundo”. Esse  olhar está presente na estética de seus curtas, como nos premiados  “Haruo Ohara” e “Booker Pittman”, donos de  estilo elogiado pelos críticos pela concisão e beleza plástica.
Carolina Bassi.
     A ourinhense Carolina Bassi de Moura completa o trio de jurados do Curta Ourinhos. Figurinista e produtora de Cinema e Teatro, Carolina é  Mestre em Artes Cênicas pela Escola de Comunicação e Artes da USP, ministra cursos de graduação e pós-graduação nas faculdades Anhembi Morumbi e Belas Artes, em São Paulo.
           Carolina também vai coordenar a oficina A construção visual do personagem, que abordará a construção dos aspectos visuais de personagens, em cinema e teatro, evidenciando a importância dos valores plásticos como texturas, cores e volumes na composição de um figurino como recurso dramático.
          Na quinta-feira, dia 27, após a exibição no Teatro dos filmes que concorrem na Mostra Principal, serão  exibidos às 21h30 os curtas “Benzedeiras de Minas”, dirigido por Andrea. Tonacci e “Haruo Ohara”, de Rodrigo Grota. Após a exibição, os dois participam de bate-papo com os interessados.

Nenhum comentário: