21 de out de 2011

7º Curta Ourinhos – a diversidade nas telas

Festival de curtas metragens começa na próxima quarta-feira, dia 26. Um dos concorrentes ao prêmio de melhor filme é o documentário Aloha, que conta a história de surfistas com necessidades especiais que mantem sua paixão aproveitando os avanços tecnológicos e a ajuda dos amigos.

Em 2010 foi destacada a relação do cinema com a literatura. Agora, o objetivo é mostrar como outro tema, a diversidade, se expressa por meio da produção audiovisual brasileira. O 7º Curta Ourinhos – Cinema é Diversidade reunirá filmes produzidos em diferentes regiões do país, o que já representa uma multiplicidade de formas e visões do fazer cultural.
Mas não é apenas a geografia que determina essa diversidade. Na programação do 7º Curta Ourinhos será possível perceber como cada realizador contribuiu para que a diversidade fosse percebida em diferentes dimensões, gerando conflitos em muitas situações, mas também tolerância e harmonia.
Estão presentes nos filmes as diferenças culturais, de gênero, de gerações, de raça e tantas outras. De ‘Cores e Botas’ (26/10), pode-se dizer que o fato de uma menina negra de classe média querer ser paquita revela muito mais do racismo, assim como o menino daltônico de ‘Da cor do coração’ (26/10) traz implícita a mensagem de que existem várias formas de se enxergar o mundo.
O difícil cotidiano de um casal de refugiados palestinos no Brasil torna ‘Vidas deslocadas’ (26/10) um alerta sobre a violência que retira pessoas de seus lugares impondo a elas uma nova realidade. Em ‘Bingo’ (27/10) a vitalidade de um jovem senhor se sobrepõe ao desanimo, tornando a vida um motivo de alegria. Jeito bem diferente de seu Antenor, personagem de ‘A melhor idade’ (29/10) que aos setenta anos, enquanto mede a ferida na perna, prefere manter a TV a cabo, que gastar com os remédios para diabetes.
No documentário ‘Aloha’ (28/10), as ondas do mar servem de inspiração para surfistas com necessidades especiais manterem sua paixão, se aproveitando dos avanços tecnológicos e da ajuda dos amigos. No bem humorado ‘Enfim sós! (28/10) é possível perceber como duas pessoas narram de formas diferentes um mesmo episódio vivido por elas. Em ‘Felizes para sempre’ (29/10) o cotidiano de duas mulheres que vivem juntas uma relação de muitos anos revela que sentimentos como o afeto e o respeito vão além da sexualidade.
Como em outros anos, o evento oferece ao público mais jovem uma programação de filmes produzidos a partir da temática da diversidade, com abordagens especialmente direcionadas para este tipo de público. Além das sessões no Teatro Municipal, serão realizadas mostras paralelas em diferentes espaços da cidade. O 7º Curta Ourinhos – Cinema é Diversidade é uma realização da Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com a Associação de Amigos da Biblioteca Pública.

Nenhum comentário: