21 de ago de 2009

A(o)gosto das Letras começou na terça com palestra no Centro Cultural

Apesar da chuva o público compareceu ao Centro Cultural na última terça-feira para acompanhar a palestra de abertura do A(o)gosto das Letras, ministrada pelo Diretor de Programas Culturais da Secretaria Municipal de Cultura, o jornalista Valdir Grandini (foto). O encontro reuniu professores, oficineiros e pessoas interessadas no processo da educação. O palestrante apresentou trechos de livros de educadores, escritores e críticos literários de diferentes épocas, e que em suas obras abordaram as inúmeras possibilidades de leituras existentes nas relações humanas. Segundo Dentinho, é fundamental que os profissionais ligados à educação entendam como essa prática pode influenciar no processo de aprendizagem e na identidade e constituição de um grupo social. “Todos os autores citados perceberam que quando você admite as várias possibilidades de leitura, reconhece também que existem muitas formas de se “ler” o mundo, de apreensão do que acontece à sua volta, de entendimento das coisas e das relações, que não são iguais a sua”, avalia Marco Aurélio Gomes, Diretor de Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura, comentando sobre o encontro. Segundo Dentinho, é fundamental que os profissionais ligados à educação e em especial aqueles que trabalham com arte conheçam obra de Paulo Freire, como diretriz para um trabalho sem preconceitos, numa forma de se respeitar e despertar habilidades individuais no processo educacional.

Na dia 19, quarta-feira, os cronistas (foto) que escrevem em jornais da cidade se reuniram na Biblioteca Municipal Tristão de Athayde para bate-papo com o público. A partir do tema ‘Leituras do Cotidiano’, os cronistas Norival Vieira da Silva, Itamar Rabelo, Gustavo Gomes, Cristina Souza e José Luiz Martins falaram sobre os fatos do dia-a-dia que servem de inspiração na produção dos textos, a relação da crônica com a memória e o limite entre a ficção e a realidade. “Gostei muito da oportunidade de conhecer os escritores. São pessoas interessantes, com características de trabalho diferentes. Acho muito bom os jornais de Ourinhos abrirem espaço para os autores”, conta Maria Helena Ramalho, moradora de São Vicente, uma das pessoas presentes ao encontro.

O lançamento do livro ‘Ourinhos em Crônicas’, do professor Norival Vieira da Silva, que estava previsto para acontecer ontem, foi transferido para a próxima quinta-feira, dia 27, no Bar do Joel, na Vila Margarida, a partir das 20 horas.

Hoje, na Biblioteca Municipal Tristão de Athayde, a atriz Magali Flore desenvolve um trabalho de contação de histórias, utilizando poesias do poeta matogrossense Manoel de Barros. A atividade acontece às 9h30 e às 15 horas. Às 22 horas, na Casinha da Esquina, será realizado o Sarau Literário – Leituras Portuguesas, com leituras de textos de autores portugueses e degustação de aperitivos da culinária lusitana.

Amanhã, sábado, o grupo paulistano Chão apresenta o espetáculo de rua ‘Ruas de Barros’, (foto) também inspirado na obra do poeta Manoel de Barros. O espetáculo acontece na Praça Mello Peixoto, às 11 horas e no domingo, às 10 horas, na Praça Benício do Espírito Santo, na Vila Margarida.

Nenhum comentário: