1 de nov de 2011

7º Curta Ourinhos premiou os melhores curtas


 
Após a exibição de mais de 50 filmes em sessões no Teatro Municipal, em escolas, praças e associações de moradores, o 7º Curta Ourinhos – Cinema é Diversidade foi encerrado no último sábado, quando aconteceu a premiação dos melhores filmes escolhidos pelo júri popular e pelo júri oficial, formado pelos cineastas Rodrigo Grota e Andrea Tonacci e pela professora de cinema e diretora de arte Carolina Moura.

Como melhor filme da Mostra Principal o público escolheu o curta 'Bingo', da diretora Jéssica Lopes, da cidade de Santos. Na categoria melhor filme da Mostra Curta Ourinhos, foi escolhido 'O enigma da floresta', do diretor Alex Sampaio. Ainda segundo avaliação do público, o curta 'Memórias de meu tio', de Alexandre Rafael Garcia e Álvaro Zeini Cruz, de Curitiba, foi o melhor filme da Mostra Infantil.

Já para o júri oficial, o melhor filme da Mostra Infantil foi 'Cores e botas', de Juliana Vicente, de São Paulo. “O filme trata da superação do preconceito racial gerado pela massificação do valores fabricados pela televisão”, observou o diretor Rodrigo Grota, integrante do júri. Na categoria Produção Local, venceu o filme 'Papéis trocados', de Isabela Cavezali. Através de uma ficção o filme de Isabela revela o problema da violência sexual praticada no interior da família. A professora Carolina Moura considera que “a diretora adotou uma postura corajosa e delicada na abordagem de um tema tão delicado, como a pedofilia”. Já na categoria melhor filme da Mostra Principal, foi escolhido o filme 'Tempo de criança', de Wagner Novaes, do Rio de Janeiro. O curta apresenta, de forma poética, o cotidiano de uma menina que assume muitas atribuições e tem de ser grande quando a mãe não está em casa. Para Andrea Tonacci, “o filme atinge um olhar muito próximo ao da criança”. Os filmes indicados pelo júri oficial receberam o troféu Gato Preto e 2 mil reais.

O júri oficial concedeu ainda menções honrosas às animações 'Tempestade', de César Cabral (Santo André), 'Céu, inferno e outras partes do corpo', de Rodrigo John (Porto Alegre) e ao documentário 'Escola de Bambu', de Vinícius Zanotti (São Paulo).

Nenhum comentário: